Notícias de Trás-os-Montes e Alto Douro

Orgão da Casa de Trás-os-Montes e Alto Douro de Lisboa

Archive for Janeiro, 2010

Convocada Assembleia Geral para 28 de Janeiro

Posted by ntmad em 24 01 2010

O Presidente da Assembleia Geral convocou todos os sócios da Casa para a habitual Assembleia Geral, na sede em Lisboa, que visa aprovar o Relatório e Contas de 2009.

AG 2010,convocatoria

Anúncios

Posted in A Nossa Casa, Festas e Eventos | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

EDITORIAL – O ano 2009 chegou ao fim. Segue-se o 2010 na seta do tempo.

Posted by ntmad em 24 01 2010

Jorge ValadaresNão posso deixar de começar este editorial por desejar a todos os nossos leitores e seus familiares um Bom Ano, com saúde e muitas alegrias. É altura de prestar contas aos associados do trabalho desenvolvido ao longo do ano que findou, na senda dos grandes objectivos para que nos propusemos caminhar. Assumindo com humildade que um ou outro propósito esteve longe de ser alcançado, por exemplo a regularidade que tanto desejávamos da publicação deste jornal, estamos de consciência tranquila pelo esforço desenvolvido ao longo do ano que findou e orgulhosos por muito do que conseguimos fazer. Durante o ano passado realizámos um total de 38 reuniões contra as 20 estatutariamente previstas, Isto traduziu-se numa variedade de eventos, dois dos quais deram enorme visibilidade à nossa Instituição e contribuíram de modo decisivo para um fluxo crescente no número de associados que passaram a pagar as suas quotas atempadamente. Referimo-nos, concretamente, às duas grandes Festas que decorreram na Praça da Figueira. Uma delas foi a Festa do Folar e do Azeite, que associou à sua tradicional finalidade internalista uma outra que teve a ver com a homenagem a uma grande figura da literatura e da política nacional que foi o escritor mogadourense Trindade Coelho. Decorreu no dia 5 de Abril e contámos com a colaboração das Câmaras Municipais de Lisboa e de Mogadouro e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, mas em que o maior peso logístico da sua organização recaiu sobre nós. Também este evento proporcionou à nossa Casa uma projecção enorme, pois visitaram o espaço da CTMAD na Praça da Figueira milhares de pessoas, incluindo estrangeiros de diversas nacionalidades.

O outro evento importante que decorreu na mesma Praça central de Lisboa começou ainda na sexta, dia 29 de Maio e terminou no final do domingo seguinte. Tratou-se de um certame que traduziu o cumprimento de uma tradição, durante largos anos interrompida, de várias Casas Regionais com Sede em Lisboa participarem nas tradicionais Festas desta Cidade dedicadas aos Santos Populares. Foi uma excepcional oportunidade de divulgarmos junto dos lisboetas e dos turistas presentes na capital, as nossas valências culturais, sociais e artísticas. A nossa Instituição foi a que apresentou mais grupos musicais, concretamente quatro, o que envolveu um esforço financeiro de monta para o que é habitual nas nossas Festas.

Um outro aspecto relevante a destacar em 2009 foi a coragem e determinação com que enfrentámos o sério problema que há anos se arrasta e que é o da nova Sede. Com base no velho princípio popular que «vale mais um pássaro na mão do que dois a voar», decidimos, após auscultarmos o parecer prévio de vários associados que viveram de perto esse problema, avançar para uma Assembleia-geral com uma proposta de permuta do direito de superfície de um terreno no qual estamos legalmente impedidos de construir a nova sede, pelo de uma vivenda de dois pisos com logradouro na traseira e que está em fase de devolução à CML, situada no Paço da Rainha, numa zona bem central e acessível (junto à Academia Militar e à Embaixada de Itália). Apraz-nos registar que a proposta foi aprovada por unanimidade pelos muitos associados presentes na Assembleia. Estamos firmemente convictos que com a nossa futura Sede num palacete condigno e com o actual andar onde estamos instalados a ser rentabilizado, a CTMAD ficará numa situação económica muito mais confortável.

Foi também em 2009 que coube à Direcção da CTMAD a responsabilidade de dirigir os destinos do Conselho Nacional das Casas Regionais de Lisboa (CNCRL). Herdando uma organização praticamente moribunda, pois não tomou qualquer iniciativa nos últimos anos, convocámos duas reuniões desse Conselho, em que convidámos dois representantes de cada Casa Regional, solicitámos duas reuniões na Câmara Municipal de Lisboa, uma na EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural tendo em vista a organização de uma grande Festa das Casas Regionais de Lisboa por ocasião das Festas da Cidade de Lisboa e outra com o Vereador da Câmara Dr. Manuel Brito, para lhe comunicar o nosso desejo de contarmos com o apoio do Município. A experiência deste ano de direcção do CNCRL levou-nos a concluir que o poder reivindicativo actual deste organismo junto da CML é praticamente nulo, pois o estado latente em que caiu pouco tempo depois da sua fundação fez com que nem sequer se tivesse legalizado juridicamente. Entretanto foi criada a Associação das Casas Regionais em Lisboa (ACRL), essa sim com existência legal e com grande dinamismo.

É nossa opinião que o poder reivindicativo junto da CML passa pela existência de uma única entidade legal que englobe todas as casas que representam regiões maiores ou menores do nosso país e é um facto que neste momento a única entidade legalmente constituída é a ACRL. A existência de uma única entidade representante de todas as regiões do país, regiões naturais, distritais ou concelhias, passará pois, necessariamente, pela negociação com a ACRL. É por este objectivo que iremos lutar dentro da estrutura do CNCR, mesmo depois de passar o testemunho à Casa do Açores numa reunião marcada para o próximo mês.

Muitas outras decisões e actividades exigiram muito esforço directivo. Uma que também merece destaque foi a resolução de um problema que se arrastava e que era o termos pessoas transmontanas competentes no serviço de cozinha e de mesa para os almoços e jantares de convívio. Mas outros foram igualmente importantes, como a já tradicional romagem à nossa região, a Festa de aniversário que incluiu uma homenagem ao pintor Nadir Afonso, o apoio a variadas causas para benefício da nossa região, algumas sessões culturais, etc. Deste intenso trabalho daremos público conhecimento e prestaremos contas num relatório de final de ano a apresentar em próxima Assembleia-geral.

#Jorge Valadares

Posted in Editoriais, Jorge Valadares | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

Casa em foco

Posted by ntmad em 24 01 2010

1. Integrado nas celebrações da Festa dos Reis que a Câmara Municipal do Seixal levou a cabo e a convite do professor José Carita, da Casa do Povo de Corroios, uma representação da nossa Casa, composta pelo presidente Jorge Valadares, pelo tesoureiro Leonardo Antão e pelo autor destas linhas, deslocou-se àquele evento e ao Festival “Vamos Cantar as Janeiras” que dele fazia parte.
Expusemos trajes típicos da nossa terra e ainda artesanato e produtos regionais.
António Durão, responsável por aquele espaço municipal, disponibilizou-o para outras mostras que a Casa ou seus associados queiram ali levar a cabo.

2. A recém eleita presidente da Câmara de Alfândega da Fé, Drª Berta Nunes acompanhada de uma delegação daquele município, aproveitou uma deslocação à BTL na FIL, para nos dar o prazer de uma visita à nossa Casa e connosco jantar no passado dia 13 de Janeiro. Traçaram-se hipóteses de trabalho conjunto que se revelarão mutuamente vantajosas para ambas as partes.

3. Também o presidente da Turismo do Douro nos quis privilegiar, aceitando fazer-nos uma visita. Contudo, por uma inesperada alteração de agenda, viu-se obrigado a delegar a deslocação no vice-presidente Eng. Rui Fraga.
O Dr. António Martinho desde que assumiu as responsabilidades máximas nesta Missão de Desenvolvimento, tem-se manifestado um Amigo da CTMAD ao reconhecer a importância que ela tem na congregação de esforços conducentes ao desenvolvimento da nossa região em geral e do Douro em particular. 

4. O Governador Civil de Vila Real, Dr. Alexandre Chaves tem demonstrado também muito apreço pelo trabalho da nossa Casa tendo já, por mais de uma vez, disponibilizado apoio financeiro daquele Órgão, às nossas actividades.

5. A Escola Secundária Miguel Torga, no Monte Abraão, Sintra, conta nos dias 16, 17 e 18 de Janeiro com uma mostra de artigos etnográficos da nossa região.
A pedido do seu Conselho Directivo, e sendo quem é o patrono daquele estabelecimento de ensino, não podíamos faltar à chamada e lá está a nossa Casa representada com alguns artigos do seu acervo.

 #Manuel Martins

Posted in A Nossa Casa, Festas e Eventos | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

Mais uma exposição de pintura na sede

Posted by ntmad em 24 01 2010

José Augusto Coelho, brindou-nos mais uma vez com as suas telas, nas quais e através das quais, ele plasma reminiscências que lhe advêm dum passado espaço-temporal que não renega. Bem pelo contrário, faz gala em trazê-las para o presente, em impô-las ao nosso olhar, em embrenhá-las na nossa sensibilidade.                              

Desde as puídas botas do avô, no quadro “Páginas da Vida” aos verdes e amarelos de vários outros quadros que lhe devem povoar as cearas e as várzeas da saudade, José Augusto Coelho está indelevelmente ligado à terra que o viu nascer e às terras que o formaram. Daí que a sua pintura, muitas vezes onírica, não deixe de ser límpida, bucólica, romântica e terrena, naquilo que estas expressões têm de mais sincero, de mais enraizado, de mais sensível, de mais material.

Utilizando frequentemente técnicas mistas, como o óleo e o acrílico, e também aqui, simbolicamente, o passado e o presente, somos, perante muitos dos seus quadros, levados a concluir que estando perante uma pintura não susceptível de etiquetagem simplista, não conseguimos discernir se estamos perante uma pintura abstractamente concreta, como uma ou outra tela nos querem transmitir ou se ela é concretamente abstracta como outra ou outra além nos querem fazer deduzir.

#José Luís Castor

Posted in Castor, Pintura | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

Jantar de Reis

Posted by ntmad em 23 01 2010

Apesar da proximidade temporal, esta já tradicional festa da Casa, o Jantar de Reis, aglutinou na nossa sede, no passado dia 5 do corrente mês, várias dezenas de associados e amigos que já não prescindem desta oportunidade para, por mais uma vez, se juntarem, confraternizarem e comungarem do saudável espírito da fraternidade.

Tal como na Ceia de Natal, as entradas, as conversas, a sopinha, as estórias, as fêveras, as memórias, as sobremesas, as baladas, iam sucedendo-se paulatinamente ao sabor da noite.

No fim do repasto, as cordas das guitarras, tangidas a compasso por Altino Cardoso, por José Augusto Coelho, por Marcolino Pinheiro e por Laertes Cordeiro deram a cara ao cenário que o acordeon de Jorge Gomes ia desenhando no ar enquanto José Serafim dirigia os naipes vocais.

Do salão passou-se para o bar onde continuou a animação com cantares e bailarico.

Quando os mais resistentes abandonaram a Casa, e como agora comummente se diz, o dia 5 já era.

 

 

Posted in A Nossa Casa, Festas e Eventos | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

Mensagem do Presidente da Assembleia Geral

Posted by ntmad em 23 01 2010

Guilhermino PiresEm meu nome pessoal e em nome de cada um dos elementos dos Corpos Sociais da nossa Casa, é-me grato formular os melhores votos de um PRÓSPERO ANO 2010 para todos quantos nos leiam.

Pesem embora as sombrias nuvens do desconforto, aliado ao descrédito que teima abater-nos com angústia, saibamos ser dignos dos que nos precederam, resistindo e superando. E seja a força da nossa intrepidez a estrela da nossa esperança para almejarmos uma vida melhor, independentemente dos condicionalismos impostos por quem, sendo fraco, “recorre à força para dominar a nossa razão, pois não tem razão para dominar a nossa força”.
Com persistência e alegria dêmo-nos as mãos, para, juntos, saltarmos os últimos obstáculos do percurso sinuoso da maratona que tem por meta final a nova SEDE.

É no patamar da solidariedade – o novo humanismo para o 3.º milénio – em gestos concretos de ajuda e de presença, que a CTMAD quer contar com todos os Associados, Amigos e Simpatizantes: com os que estão por cá e para lá do Marão… Autarquias, Empresários e Beneméritos, para que o sonho, sem veleidade, se realize em harmonia com utilidade para todos os transmontanos e altodurienses.

A. Guilhermino Pires

Posted in A Nossa Casa | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

Novo valor da quota

Posted by ntmad em 23 01 2010

Caro (a) Associado (a) da CTMAD
 
Pelo facto de alguns associados estarem a enviar cheques e a efectuar as transferênciaa bancárias com o valor de 20 euros para pagarem a quota de 2009, vimos lembrar que, no cumprimento da proposta aprovada na Assembleia Geral Ordinára do ano passado, o valor da quota refrente a este ano é de 25 euros.
 
    Saudações transmontanas e alto-durienses.
 
 
                                    A Direcção

Posted in A Nossa Casa | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

Ceia de Natal

Posted by ntmad em 23 01 2010

Mais uma vez, à volta das mesas, em comunhão de sentimentos, de boas vontades e amizade, partilhou-se o presunto, o bacalhau, as hortaliças, as sobremesas, as outras iguarias próprias da quadra e, obviamente, a conversa.

A direcção da Casa houve por bem, equipar o grande salão com outro tipo de mesas. Assim, os tradicionais grupos de 4 ou 5 pessoas, passaram a 10 ou 12, o que, indubitavelmente, trouxe um convívio mais intenso, mais partilhado, mais…natalício.

Mais uma vez se aproveitou o momento para se recuperarem histórias, para se trocarem informações sobre as ementas que conseguem ser tão ricas e tão distintas na nossa região e para se reviver um pouco o nosso longínquo Natal.

Estivera lá o etéreo (ou eterno?) Álvaro de Campos e, provavelmente, repetiria:

“Vem, Noite antiquíssima e idêntica,

Noite Rainha nascida destronada,

Noite igual por dentro ao silêncio. Noite

Com as estrelas lantejoulas rápidas

No teu vestido franjado de Infinito”.

Se essa noite, antiquíssima e idêntica, fosse a noite de Natal, a nossa noite de Natal, a noite do nosso Natal, ela teria obedecido.

E teria vindo.

Com o seu vestido franjado de Infinito.

…                                     

No final da Ceia, os Maranus, quais flautistas de Hamelin, hipnotizaram os presentes e arrastaram-nos para a zona do bar onde, de forma inspirada, os mantiveram até ao início do novo dia ao som de modas e toadas compartilhadas.

Pelo meio, teve ainda lugar a arrematação de um cabaz de Natal oferecido pela directora Dr.ª Maria de Lourdes Marques. Na primeira ida à praça, foi arrematado por €40,00 pelo associado Alfredo Leitão Alves, de Ribeira de Pena, que simpaticamente o voltou a oferecer à Casa permitindo assim nova almoeda, para desta vez ser arrematado por €55,00 pela Amiga Emília Vieira que sendo natural de Almeida não deixa, sempre que pode, de participar activamente nas nossas iniciativas.

#J.L.Castor

Posted in A Nossa Casa | Leave a Comment »